Sexta-feira passada, esqueci meu pendrive, lá no computador do curso de ASP.NET.

Só me dei conta ontem, domingo.

Era um pendrive velho, de 4GB, pequeno para os padrões atuais.

Hoje, fui procurá-lo, mas parece que ninguém o entregou à escola.

Tinha o nome colado por fora, e dentro, deixei um arquivo texto, com meu email e telefone.

O conteúdo tinha um certo valor, mas fazer o quê, né?

Quem está com ele, não conseguirá abrir nada, pois está tudo bem criptografado.

A recompensa pela devolução era um pendrive novo, de maior capacidade, mas paciência…

Uma pena, que este tipo de atitude, seja um “padrão” brasileiro.

Pelo andar da carruagem, lá no inferno, a língua oficial é o pt-br…