Por gentileza, não seja mais um chato de carteirinha, resmungão, ranzinza, mal-humorado e pessimista.
Que tal aprender a usar melhor o “bom senso” para avaliar as situações e condições diversas?
Isso vale pra tudo, não só para o ciclismo, ok?

1. Quando vou pedalar rápido ou em vias com veículos, eu coloco o meu capacete, pois sei do perigo da queda e/ou impacto em alta velocidade.

Agora, vem comigo, com calma…

2. Quando vou pedalar em ritmo de passeio (menos de 20km/h) ou em vias mais seguras como parques, eu costumo tirar o meu capacete, pois entendo que os riscos de um acidente grave são bem baixos.
Nestas condições, meu “bom senso” diz que corro tanto risco de sofrer traumatismo craniano, quanto um colega maratonista treinando ao meu lado.

Bom, vocês não precisam concordar comigo, é apenas o meu ponto de vista. =)

Grato pela atenção dada! o/

até 20 km/h

*De acordo com a Wikipédia…
BOM SENSO – é um conceito usado na argumentação que é estritamente ligado às noções de sabedoria e de razoabilidade, e que define a capacidade média que uma pessoa possui, ou deveria possuir, de adequar regras e costumes a determinadas realidades considerando as consequências e assim poder fazer bons julgamentos e escolhas. Pode, assim, ser definido como a forma de “filosofar” espontânea do homem comum, também chamada de “filosofia de vida”, que supõe certa capacidade de organização, auto-controle e independência de quem analisa a experiência de vida cotidiana.

O bom senso é por vezes confundido com a ideia de senso comum, sendo no entanto muitas vezes o seu oposto. Ao passo que o senso comum pode refletir muitas vezes uma opinião por vezes errônea e preconceituosa sobre determinado objeto, o bom senso é ligado à ideia de sensatez, sendo uma capacidade intuitiva de distinguir a melhor conduta em situações específicas que, muitas vezes, são difíceis de serem analisadas mais longamente. Para Aristóteles, o bom senso é “elemento central da conduta ética uma capacidade virtuosa de achar o meio termo e distinguir a ação correta, o que é em termos mais simples, nada mais que bom senso.”

O Bom Senso vai muito além da capacidade de discernir o certo do errado. O bom senso esta diretamente ligado a capacidade intuitiva do ser humano de fazer a coisa certa, é elementar que está ligado a moral, de maneira que o bom senso praticado por um cristão, poderá ser interpretado de forma diferente por um Islã ou judeu. Também reflete a cultura e o meio a qual o ser humano vive, falar a coisa certa e pensar na coisa certa em momentos inusitados ou não. O Bom senso não envolve tanto uma reflexão aprofundada sobre um determinado tema, lugar ou situação (isso já entraria no campo da reflexão), mas sim a capacidade de agir e interagir,obedecendo certos parâmetros da normalidade, face uma situação qualquer, guiando-se por um senso comum e quase que completamente intuitivo.

P.S.: Encontrei este vídeo, onde o pensamento/bom senso é similar ao meu.